abril 25, 2007

Dia da Contabilidade

Olá pessoal, voltei das merecidas férias. Foram poucos dias, mas pra quem estava precisando um tempo do trabalho já valeu. Estou vivendo um período de mudanças, mas sobre isso falo em outra oportunidade, ainda é cedo. Hoje o post é em homenagem a todos nós que fazemos da contabilidade profissão, por isso transcrevo o texto abaixo que recebi:
"25 de abril, dia da contabilidade

Talvez você não saiba, mas no dia 25 de abril comemora-se o Dia da Contabilidade. Nesse dia, nasceu o Senador João Lyra Tavares, patrono da contabilidade no Brasil, e a lembrança da data é uma forma de prestar uma homenagem a esse homem que, no Congresso Nacional, defendeu a regulamentação da profissão contábil. A regulamentação ocorreu através do Decreto nº 20.158, de 30.06.1931, que organizou o ensino comercial no Brasil.

25 de abril não é o dia do contador, profissional graduado em Ciências Contábeis, cujo dia é celebrado em 22 de setembro. Também não é o dia do técnico em contabilidade, profissional formado pelas escolas profissionalizantes de nível médio, cujo dia é o 20 de novembro. No dia 25 de abril, comemora-se o Dia da CONTABILIDADE. Os contadores e os técnicos em contabilidade, profissionais que atuam nesse campo, devem sentir-se orgulhosos nesse dia. É a contabilidade, através de suas técnicas de registro, que possibilita que as pessoas jurídicas conheçam e divulguem sua situação econômica, financeira e patrimonial, possibilitando que o mundo dos negócios seja operado. É através da contabilidade que se apuram custos, despesas, receitas, ativo, passivo, PIB, arrecadação de impostos, salários, contribuições, etc. Além disso, é a contabilidade que apura lucros ou prejuízos, o que fornece subsídios para que as empresas prosperem com segurança. Quando há problemas, é a contabilidade que acena para as soluções.

Por isso é que se diz que a contabilidade é uma profissão de interesse social. A pessoa jurídica não pertence aos seus donos, mas ao meio onde está instalada, ou seja, à sociedade. Porque é a pessoa jurídica que gera emprego, que gera tributos, que arrecada e aplica recursos, que produz. É a pessoa jurídica que faz o Município, o Estado e o País terem vida. Imaginem o que seria do País se os seus governantes não tivessem acesso às informações das pessoas que produzem riquezas. E é pela contabilidade que o governo mapeia a economia para saber em que setor há mais ou menos produção, onde cresceu e produziu mais ou menos, que região precisa desse ou daquele incentivo. Nesse contexto, a contabilidade é a guardiã da riqueza nacional.

Agora, imaginem o que seria dos concedentes de crédito ou dos investidores sem as informações contábeis. Como fariam para medir os riscos assumidos pelo fornecimento de bens, serviços ou dinheiro? Como saberiam onde aplicar seus recursos para obter rentabilidade?

Até agora apenas falamos na função técnica da contabilidade, que pode ser exercida tanto pelo técnico como pelo contador. Não entramos no mérito da função acadêmica, que só pertence ao contador, o qual lança mão dos conhecimentos adquiridos nos bancos acadêmicos para detectar os problemas das pessoas jurídicas e recomendar as soluções.

É por isso que se diz que a contabilidade é a fiel companheira dos negócios. Ela registra o patrimônio, ausculta o movimento, descreve o giro, grava as transformações e evidencia os resultados, previne os riscos, acautela prejuízos, estimula a expansão, evita a imprudência, impede a imprecisão, revela confidências, pune o ilícito, exalta a lisura, evidencia a ganância, aconselha no presente e orienta para o futuro. Por isso, ela é ignorada, temida e evitada pelos desonestos e pelos incompetentes, pois a contabilidade pode, a qualquer momento, apontar as falhas, os erros ou os crimes praticados contra a sociedade. Assim, se há problemas, a contabilidade acusa, e, imediatamente, busca-se a solução.

Contudo, a contabilidade ainda não é devidamente reconhecida como uma profissão necessária para a proteção da sociedade, isso por que uma minoria muito pequena de profissionais de outras áreas, tais como economistas, administradores, advogados, engenheiros, que são também técnicos em contabilidade, querem fazer-se passar por “contadores”, usando o termo “contabilista” em substituição à “contabilidade” (registramos ainda aqui que esses termos são sinônimos, por se referirem a campo de atividade), para confundir a sociedade, que fica assim sem saber “quem é quem” dentro da área. Com isso, todos saem perdendo, e a sociedade inclusive, que fica desprotegida, acabando por nivelar contador e técnico como se atuassem indistintamente, e não complementarmente.

Apesar disso, é com muito orgulho que os contadores e técnicos em contabilidade devem comemorar, no dia 25 de abril, o dia da contabilidade.

Salézio Dagostim, Contador – Presidente do Sindicato dos Contadores do RS"


Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

3 comentários:

Meire disse...

Interessante saber do dia da contabilidade. Um setor muito importante na vida de todo empresario.
bjs

Janaina de Almeida disse...

O que seria de todos nós sem um contador?
Parabéns, mesmo que atrasado pelo Dia da Contabilidade.
Beijos,
Janaina de Almeida, Rio de Janeiro.

Janaina de Almeida disse...

Descuple, digitei errado:
http://www.assuntosetc.zip.net.
Beijos.